domingo, 2 de novembro de 2008

ENCANTO CULTURAL - ENCONTROS

O ENCANTO CULTURAL escolheu a convivência como circunstância primeira de aprendizagem! Desse modo, fotógrafa e alunos se encontraram (04 vezes por semana) num período de 03 meses para conversar, ver fotografias, desenhar, escrever, comer, conversar mais, andar pelo bairro, visitar lugares e pessoas interessantes, conversar um bocado mais e, claro, fotografar tudo isso!






















Como referências fotográficas utilizamos as fotos feitas pelos alunos e seus familiares antes do início do curso, as fotos da cidade de Guapiara e do bairro Capela do Alto feitas por mim no período de elaboração do projeto e imagens de 02 grandes foto-jornalistas brasileiros - RETRATOS DE CRIANÇAS DO ÊXODOS de Sebastião Salgado e AMAZÔNIA, O POVO DAS ÁGUAS de Pedro Martinelli. Isso porque além da convivência outra prioridade de nossos Encontros foi a troca cultural. Assim cada participante pode oferecer e receber um pouco de informação, não importando sua idade ou condição no curso: alunos, educadora-fotógrafa, familiares de alunos.

A cada Encontro, enquanto olhávamos imagens, discutíamos temas a serem fotografados, refletíamos sobre a arte, a vida, o futuro, os sonhos, os medos, as injustiças. Também tentávamos responder a duas perguntas: O que é cultura? O que forma a identidade de uma pessoa? Perguntas difíceis, especialmente considerando que nosso grupo continha pessoas de 04 a 35 anos. Mas o importante, de fato, naqueles momentos, não eram respostas corretas, e sim, possibilidades!


Dentro dessas possibilidades os alunos concluíram que a natureza que envolve os moradores do bairro Capela do Alto, a origem negra da maioria e a religiosidade (ainda que voltada para religiões distintas) são aspectos importantes da cultura e da identidade local.



















Com tanta convivência e tantos olhares distintos seria impossível dizer que não houveram conflitos. Daqueles de "estrovar" um grupo, se o mesmo não estiver predisposto ao diálogo. Mas, como dito anteriormente, esse foi um grupo muito "interessoso" e tudo - do tema a ser fotografado às fotos que vão para a exposição - foi resolvido pelos próprios participantes.



























































Um comentário:

WILSÃO NEGREDO E RENATO VITAL A CORRENTE FORTE DO GUETO disse...

O melhor do escritor são as palavras carregadas de atitude. E o melhor do Fotógrafo é a presença de humanos e realismo nas suas imagens. O realismo que falo é o da Realidade mesmo, não o movimento. Adorei a sua presença na Cooperifa, e que possa ir mais vezes. Os livros já estão comigo, se a senhora ainda não tiver, tem como eu arrumar aqui. Beijos e abraços do Renato Vital.